Nos textos anteriores você conheceu um pouco da história milenar do bordado e sua evolução junto com a sociedade, e também alguns dos tipos mais utilizados. Por ser uma arte que possibilita as mais diferentes criações e os mais belos resultados, o bordado pode ser praticado por meio de diversas técnicas, que dão origem a peças lindas e exclusivas. Já que você domina uma ou mais técnicas, que tal conhecer mais sobre a história delas?


 


Ponto Russo


A técnica do bordado russo é uma forma de arte iniciada e perpetuada por sua cultura reclusa, ensinado para muitas gerações. A agulha original dos imigrantes russos era feita de ossos de pássaros e somente no tamanho para um fio de linha. Hoje, o ponto russo é feito com os mais diversos materiais e para os mais diversos usos, desde aplicações separadas que colamos às que costuramos no tecido, como peças de tapeçaria de tamanhos variados.


 


Crivo


O bordado de labirinto (crivo) é um trabalho introduzido no Brasil por intermédio das colônias portuguesas, no século XVII. A arte se desenvolveu de forma distinta, combinando diversos elementos destas culturas. Produzido a partir de tecidos finos, especialmente, o linho, a técnica permite a confecção de uma grande diversidade de gravuras, utilizando-se do entrelace conveniente de fios sobre uma trama têxtil em forma de tela.


 


Seja qual for a sua técnica, para nós, o mais importante é o talento e o seu amor pelo artesanato.