Todo mundo teve uma avó, uma tia, ou outra mulher na família que se dedicava a bordar, pintar ou fazer crochê, não é verdade? E não é pra menos, o bordado, por exemplo, segue sendo um dos hobbies mais populares e as adeptas garantem que funciona como uma terapia, um momento de descansar a mente e tirar o foco dos problemas. Os benefícios trazidos pelos trabalhos manuais são tantos que até mesmo os hospitais já adotam a prática para aliviar a tensão dos pacientes. Além disso, muitas pessoas ganham as suas vidas através de técnicas de artesanato, fazendo do passatempo uma profissão.


Porém, trabalhos manuais não são algo simples que podem ser feitos de qualquer jeito. Requer ritmo, agilidade mental e exige que as mãos estejam ativas a toda hora. Porém, isso não quer dizer que não deva ser incentivado ou praticado por qualquer pessoa, idosos, jovens, crianças, homens e mulheres. Afinal, nada substitui a sensação de ver uma peça criada pelas suas próprias mãos, ou presentear alguém querido com um presente único, repleto de significado. Confira a seguir uma lista dos principais benefícios que os trabalhos manuais podem oferecer:


1.        Exercita os dois hemisférios cerebrais


O simples ato de passar a linha por uma agulha e depois de ponto a ponto já melhora muito nossa coordenação cerebral. Somando a isso a criatividade usada na combinação das cores, a complexidade do ponto e dos tecidos trabalhados, a destreza mental potencializará ainda mais o ritmo e a coordenação. Além disso, foi provado que crianças com problemas psíquicos e pessoas com problema motriz encontram uma melhoria significativa quando se dedicam a trabalhos manuais, porque precisam focar sua atenção em uma atividade.


2.       Reduz o estresse


Bordar relaxa. A simples atividade manual e a ação de fixar a atenção em uma tarefa levam a um estado de calma que oferece benefícios a quem passa por períodos de estresse ou ansiedade. Também é bastante comum as pessoas se reunirem para bordar, trabalhando as agulhas enquanto relaxam conversando e dão vasão as preocupações.


3.       Melhora o humor


Como já foi falado, muitas pessoas se reúnem para bordar, pintar ou costurar e com isso, exercitam a sociabilidade. Mas mesmo sozinha em casa é possível se beneficiar do ato, permite desfrutar do silêncio de nossos pensamentos ao mesmo tempo em que aumentamos as doses de endorfina capazes de relaxar e proporcionar aquela sensação de bem estar.


4.       Melhora a motricidade manual


Se você contava com uma vovó bordadeira em casa já deve ter notado as mãos ágeis e precisas dessa geração. Mesmo que sofram de artrite, o ato de bordar ou costurar obriga a manter as mãos em movimento, isso faz com que elas nunca fiquem rígidas. Movê-las faz com que se aqueçam e, dessa forma, qualquer possível dor é aliviada. Nas crianças, foi comprovado que o artesanato melhora a motricidade fina e, além disso, melhora a escrita e os ajuda a serem mais ágeis. Vale a pena praticar esse bom hábito, pelo menos uma hora por dia!


5.        Eleva a autoestima das artesãs


Terminar um trabalho feito com as próprias mãos e ver resultado físico do tempo e trabalho aplicado não podia ser mais gratificante. A cada peça terminada não só a autoestima aumenta, como também a confiança. Bordar não é um mero passatempo, mas implica um objetivo: terminar aquela toalha, aperfeiçoar o ponto, aprender uma nova técnica. Traçar objetivos e alcançá-los traz uma sensação de bem-estar e dever cumprido. Ainda, existe aquele simples prazer de presentear a alguém que gostamos com aquela peça única que levou tantas horas para fazer.


Por isso, não pense que bordar é uma arte antiquada do tempo de nossas avós. É uma atividade que une gerações e é um legado com grandes benefícios terapêuticos. Confire mais algumas dicas para aproveitar ao máximo o seu tempo de bordar:



  • Sempre, antes de bordar, faça um rápido aquecimento, esfregando o dorso das mãos, abrindo e fechando os dedos, girando os punhos e rodando os ombros para trás. Repita essa série de movimentos

  • Acomode-se em uma cadeira confortável, formando um ângulo de 90 graus com o corpo. O móvel deve ter apoio para os braços, pois os pulsos apoiados aliviam os membros superiores

  • Mantenha os pés no chão ou em uma banqueta. Isso mantém a posição correta e evita a pressão da coxa contra a cadeira, facilitando a circulação do sangue

  • Desvie o olhar do trabalho de vez em quando para evitar a ardência na vista e a sensação de embaçamento. Mire algo bem distante e pisque várias vezes para lubrificar a córnea

  • A cada hora de trabalho, pare por 10 ou 15 minutos. Ainda sentada, espreguice alongando bem os dedos, os braços, a coluna e as pernas. De vez em quando, levante bem devagar e dê uma voltinha pela casa